...E um pouco por mim, numa tentativa (quem sabe vã) de aliviar o sufoco que sinto por te amar.

16
Jan 09

Ao bocado vi-te entrar no msn, mas como sempre não nos falámos. Eu espero sempre que sejas tu a dizer alguma coisa e penso cá para mim que o melhor que tenho a fazer é não pressionar e dar-te o teu espaço...

Apesar disso, deste-me vontade de escrever mais sobre nós, quem sabe se pela última vez....?


"O primeiro reencontro"

 

Depois de termos retomado o contacto apenas por sms, ficámos de nos encontrar naquele dia depois de eu sair do trabalho.

As horas pareciam não passar e o meu nervoso miudinho mais parecia o de alguém que ia para um blind-date... De repente tu entras na loja onde trabalhava e eu petrifiquei! Nem queria acreditar que eras mesmo tu! Após uns longos segundos tu foste embora e a minha colega perguntou-me o que se passava, pois parecia que tinha visto um fantasma...!

E se calhar foi parecido com isso!!! Mas apesar de tudo estava desejosa que o turno acabasse naquele dia, pois mal podia esperar para poder voltar a estar contigo.

 

Viemos para um bar aqui ao pé de casa e tentámos ter uma conversa decente, mas estava difícil...! "Estou a tremer(...) estou nervoso(...) por estar ao pé de ti(...) apetece-me beijar-te(...)" Estas foram algumas das palavras que balbuciaste por entre alguns finos e cigarros.

Com a chegada de gente conhecida de mim e do meu marido, decidimos ir para minha casa. Foi tudo o que queríamos... ficar sozinhos!

Rapidamente as palavras deram lugar a uma intensa troca de beijos e carinhos, um matar de saudades de quem se amou muito no passado... e não foi preciso mais para perceber que apenas te tinha guardado num cantinho do meu coração, mas que o meu amor por ti afinal ainda vivia e tinha sobrevivido à tristeza de anos e anos em ignorância.

Foi tão fácil sentir-te e sentir que ainda te fazia mexer! E foi um prazer sentir isso, mesmo que depois me tenhas vindo a tirar tudo isso e talvez muito mais...

Estás no teu direito de te teres negado aos sentimentos, mas não me venhas dizer que nos nossos primeiros reencontros não sentiste nada!

 

Já não sei quanto tempo passou desde a última vez que tivemos juntos ou falámos, sei que foi algures pela altura do Verão.

Sim, ainda me custa a tua ausência... custa-me muito mesmo, e continuo a pensar muito em ti e sobre ti... se não for todos os dias, pouco falta!

 

Disto jamais me arrependerei: Amar-te hoje, amanhã e sempre. Para onde quer que vá, o meu amor por ti irá comigo.

 

Não sei se vou voltar a escrever sobre ti ou sobre nós, não sei se me vou lembrar de mais alguma coisa para contar.

 

Mas independentemente de tudo: the memory remains, unchangeable and eternal...

 

 

Se não antes... até sempre, Jota!

publicado por Porque te amo... às 22:50
sinto-me...: não me sinto
música: Let me take you there (Simple Plan)

2 comentários:
E eu sinto que não devias deixar de lutar... é dificil... eu sei, mas desistir não.

Seja como for a tua decisão está tomada à muito tempo, eu sei disso...

Só tenho a lamentar não ter sido boa amiga e não conseguir fazer-te desistir disso.

Abraços
Scarlett a 19 de Janeiro de 2009 às 02:07

Obrigada pelas visitas, pensei que já por cá não andavas...

A minha decisão está tomada há muito, sim, mas quem te disse que não foste boa amiga? Quem to disse enganou-te... bem enganada!

E esta decisão nada tem a ver com amizades, tem apenas a ver comigo.


Aquele abraço...

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO