...E um pouco por mim, numa tentativa (quem sabe vã) de aliviar o sufoco que sinto por te amar.

26
Set 08

There's not much more to say, not much more to do or feel... I simply love you.

 

I love you more than anything else, I miss you every single day, every hour, every second, every blink of an eye... the hope remains, it's the only thing left for me... the hope of seeing you again, hope that you read my words, for not even this blog I could hide from you, hope that you trust in me again...

 

I still don't understand what's going on, why do you push me away like you do... even knowing how I feel for you, knowing I could never hurt you, knowing how much I need you!

I need your strenght, your voice, your words, your hug...

 

I'm falling...

 

Please come back baby... don't leave me this way... don't leave me so soon... clean my tears once more, you're the only one who knows how to do that... help me believe in life again...

 

Let me love you and don't be mad about it... don't blame me, for my heart is the only one who's to blame.

 

I miss you so God damn much...!

 

"You cut me open and I

Keep bleeding

Keep, keep bleeding love"

publicado por Porque te amo... às 15:00
sinto-me...: heart broken
música: Can you feel the love tonight

23
Set 08

Ser feliz...

Aqui estou eu para ti...
Para te amar, para te querer...
Aqui estou eu para te socorrer nos momentos em que o mundo te virar as costas...

Aqui estou eu porque te amo...
Estou aqui para te secar uma lagrima, ou fazer brotar um sorriso...
Estou aqui para te dizer a cada gesto que te amo...

(...)
Sinceramente, estou aqui para te amar...

(...)
Eu estou aqui, tao pronta...
Mas tu nao vens...
E a cada dia que passa é menos um dia...
E mesmo assim continuo a tua espera...

 

 

 

in Ser feliz... - Até onde puder ir...

 


Hoje decidi começar o meu post com um excerto de um texto de alguém que escreve... bem, escreve como pudeste ler em cima! (Espero que não te importes, Jo)

 

 

Já há vários dias que te tento contactar, mas tu não me respondes... e se calhar não fazes ideia do quanto me fazes sofrer com isso...

 

Será que não queres mesmo entender que não é por te distanciares desta forma que vou deixar de te amar ou pensar em ti?

Que não é por isso que te vou passar a odiar e esquecer-te?

Será que ainda não percebeste que penso em ti todos os dias?

Não queres mesmo entender o quanto preciso de ti?

Porque é que me fazes isto, baby? Porquê?

 

Eu não te quero mal e sei que tenho um casamento para gerir e recuperar, mas só a tua amizade já me contentava... sinto-me tão sozinha...

 

Tenho dias que já não entendo o que sinto por ti. Às vezes já não sei se é amor, dependência, paranóia, fixação, pancada, cegueira, pura estupidez... o amor tem destas coisas, confunde-nos... e chega a dar-me raiva não conseguir amar mais ninguém como a ti...

 

Sei que é errado amar-te e sei que o teu amor por mim já morreu, mas não consigo evitar nem te peço que me voltes a amar... por mais que isto me esteja a doer... já te disse que é das poucas coisas que ainda me faz sentir viva...

 

Estou neste momento a ouvir "You belong to me" dos Kelly Family, dá-me vontade de chorar... nós adoravamos ouvi-los e sei que pelo menos este gosto musical em comum ainda se mantém.

 

Esta altura do ano é tão dura, meu amor... e tu não queres entender o quanto preciso do teu ombro, tal como precisei à 11 anos atrás quando nos afastaram um do outro...

Lembras-te? Como poderias esquecer?...

"Um filho era a coisa que mais queria no Mundo e teria feito tudo para o criar contigo. Faria o que fosse preciso para o sustentarmos, (...)trabalhava dia e noite(...)." Estas palavras não me saem da cabeça nem do coração...

Como pude eu ser tão egoísta e influenciada? Como pude eu tirar-te este filho? Mas com 17 anos pouco ou nada se sabe e o pânico, a tua ausência e a pressão fizeram-me tomar esta decisão... abortei... um experiência indiscritível...

Já disse várias vezes que se o tempo voltasse atrás que voltaria a fazer o mesmo, mas... hoje já não estou certa disso... não depois das palavras que me disseste... hoje não há nada que mais queira do que ter um filho... ou poder dar-te o que te tirei... pedir-te desculpa é insignificante agora...

 

Sinto-me invadida por uma tristeza tão grande de não conseguir engravidar... nem para parir sirvo... o que ando cá a fazer então?

E como é que o meu próprio marido não consegue ver a tristeza que vai dentro de mim?

Oito anos de relação serviram para isto?

Como é que ele pode dizer que quer um filho e nem sequer se preocupa em perceber o que se passa para eu não engravidar?

Como é que ele consegue mostrar-se tão indiferente?

Estou a pagar pelos meus erros? Talvez... mas às vezes mais valia uma sentença de morte com pena aplicável de imediato...

 

Dá-me a tua mão, meu amor, preciso tanto de ti...

Hoje, agora, sempre... amo-te.

publicado por Porque te amo... às 12:17
sinto-me...: triste, magoada, decepcionada
música: Everyday (Phil Collins)

12
Set 08

Sobre nós já falei algumas coisas: amizade, respeito, saudade, vivências diferentes, traição, determinação... Hoje não sei bem o que escrever, mas apetece-me contar mais alguma coisa!

 

Já sei! Vou voltar a agradecer-te!

 

Obrigada, meu amor, pela mão que estendeste quando eu tanto precisei e pela paciência que tiveste comigo na cama... foi triste aquilo que te fiz passar, mas vamos por partes para que quem lê estes textos entenda...

 

Na nossa relação vinha tudo tipo furacão e, como é lógico, chegou o dia em que surgiu a vontade de termos relações! Fazer amor contigo, pensava eu, seria a melhor coisa que me podia acontecer... mas não foi, pois não baby? Para ti deve ter sido um pesadelo (no início, pelo menos)...

 

Havia algo que tu já sabias, mas que estavas longe de imaginar o que era na realidade da minha pessoa: eu tinha sido violada, tinha perdido a virgindade numa violação, ainda não havia feito 2 anos... e aqui começava o meu desespero: querer entregar-me a quem tanto amava e não conseguir...

 

Eu sentia o teu desejo e o teu amor por mim, sabia que eras TU que ali estavas comigo, sabia que jamais me ias forçar a fazer fosse o que fosse, eu sabia isso tudo e amava a maneira como me tocavas, mas assim que me tocavas 1cm abaixo da cintura tudo se perdia, desmoronava e eu desatava a chorar... vezes sem conta que este triste quadro se repetiu...

Ainda hoje não consigo explicar os meus "bloqueios", o meu descontrolo...

E tu, meu anjo, nunca ficaste sequer chateado, aborrecido, irritado, nada! Paravas, abraçavas-me, beijavas-me e esperavas por outro dia para recomeçar... como conseguiste ter tanta paciência?

 

Ao fim de já não sei quanto tempo e muito menos sei quantas tentativas, conseguiste finalmente que eu me entregasse... se já era bom estar na cama contigo, daí em diante foi maravilhosamente indiscritível! Sempre com reservas, mas sempre tão bom!

 

Amei-te ainda mais, tinhas-me aliviado a dor de me sentir tão culpada numa situação que eu não conseguia controlar, fizeste-me ver que com amor e paciência tudo se cura! Não, nunca se esquece, mas alivia-se a dor do pensamento...

 

A única coisa que querias mesmo era saber quem ele era, querias conhecer-lhe as trombas, mas eu sabia que ias andar à pancada e tentei esconder-te a sua identidade. Isto funcionou muito bem até ao dia em que o meu maldito sexto sentido denunciou a presença daquele filho da p#t@ no início da rua... e tu, ou melhor, a tua sensibilidade e atenção que tinhas sempre comigo, rapidamente percebeste que eu não estava bem e o que se passava!

Foi o descalabro... tentei seguir em frente e passar por ele na mesma sem que tu percebesses quem era ele, mas tu descobriste na mesma (ainda hoje estou para perceber como) e foste atrás dele. Eu chorava cá fora, chorava de tristeza, de medo dele e de preocupação com o que tu irias fazer... tu fizeste-me ir à frente dele dizer-te que tinha sido ele a violar-me... doeu tanto, baby... a maneira como ele se riu na minha cara não consigo esquecer, é mais uma das imagens que não consigo apagar. O que se seguiu foi o que se esperava e que eu não queria que acontecesse, mas foi mais forte que tu!

 

Acho que só tu é que consegues realmente compreender o que passei (e passo) com esta merd@... tu e a Susana, que foi a única pessoa que me viu momentos depois de tudo ter acontecido.

 

Não tenho, nem nunca terei, forma de te agradecer tudo o que fizeste por mim neste campo, nem a paciência e respeito que tiveste para comigo. É um obrigada eterno...

 

Para quem não conhece esta triste realidade nem nunca conviveu com alguém que tenha passado por isto, vou resumir os sentimentos que nos possuem: nojo de nós e do sexo, medo, vergonha, repugnância de nós próprias, tristeza, sentimento de culpa. É um trauma que nos impede muitas vezes de deixar alguém aproximar-se e um repetir constante das imagens, dos cheiros, das palavras e de todo o horrível momento que se passou. Infelizmente este pesadelo repete-se demasiadas vezes, mesmo que se esteja com a pessoa que se ama. Muito resumidamente, é isto...

 

Desde que a maior parte do trauma desapareceu, a nossa relação no sexo foi cada vez melhor! Conhecemos os nossos corpos como ninguém, demos horas indeterminadas de prazer um ao outro e isso permanece até hoje...! Só de pensar no orgasmo que quase tive só por me beijares o pescoço, as costas e o peito... hmmmmmm... só tu o consegues! Foi por isso que já disse e volto a repetir: ninguém conhece cada centímetro do meu corpo como tu! A forma como me penetras, como me tocas, como me beijas, como me fazes vir, como os nossos corpos batem um no outro... tudo é único e exclusivo teu!

 

Hoje, 13 anos passados, já consigo falar disto sem desatar a chorar. Ainda custa, mas já falo... acho que nunca vou ser capaz de esquecer... mas o pior foi voltar a sentir todos estes maus sentimentos ao voltar a passar por ele na rua. Isso é que me voltou a deitar abaixo e a encher-me de raiva, tal como ter de passar por cartazes de publicidade outdoors com a fronha dele estampada... tanta gente boa que morre todos os dias e c@brõe$ como este não há meio de morrerem.

 

 

Amo-te baby, eternamente...!

publicado por Porque te amo... às 12:05
sinto-me...: estranha
música: Hurt - Christina Aguillera
tags: , ,

02
Set 08

Ontem vi-te, meu amor! Estavas sentado na esplanada relaxado com um amigo. Não usavas gel e tinhas uma camisola de cavas, mostrando as tuas tatuagens a quem passava... como eu!

 

Mas tu não me viste, provavelmente porque não contavas em ver-me, e eu segui viagem contrariando a vontade de ter parado ali mesmo naquele instante...

 

Ao ver-te o meu coração alegrou-se, mas dos meus olhos cairam algumas lágrimas... quero-te tanto, baby...

 

Continuas distante e ausente, não me respondes a nada nem me explicas o que se passa, apenas te remetes ao silêncio... será que alguém te disse que o melhor para mim era afastares-te? Ou pensas tu assim? É mentira, meu amor! Quanto mais longe estás mais eu sofro... mesmo sabendo que por mais perto que estejas não serás meu nunca mais...

 

Por favor não continues a negar-me o maior prazer da vida: estar contigo, estar com quem amo. Por favor, dói demais...

 

Porque é que o amor dói tanto?

Porque é que eu te amo desta forma e não consigo parar?

Porque é que a vida me dá tantos pontapés e me obriga a levantar outra vez?

 

Responde-me meu anjo... dá-me a tua mão... nada faz sentido hoje...

publicado por Porque te amo... às 14:33
sinto-me...: perdida
música: If you give up
tags: ,

Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
24
25
27

28
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO