...E um pouco por mim, numa tentativa (quem sabe vã) de aliviar o sufoco que sinto por te amar.

19
Ago 08

Este post é para quem diz que jamais perdoará uma traição...

 

É facil dizer que nunca iremos perdoar ou tolerar certas e determinadas coisas/acções/atitudes numa relação nossa, e eu era uma das que mais falava sobre isso, mas este baby sobre quem eu escrevo fez-me alterar tudo isso... por amor.


Sabes bem que ia acabar por falar nisto, pois não vale apena fingir que nunca aconteceu!

 

Quando assumi uma relação contigo já sabia que ser encornada era um risco constante, mas mesmo assim aceitei o desafio! Comigo ias ser diferente, pensava eu... e na verdade, até foste!

 

Apesar de estarmos perfeitamente equilibrados na relação, lá chegou o dia em que tu caíste na tentação já depois de me teres ido deixar em casa à noite... os teus amigos foram-te desafiar a casa e as gajas das noitadas lá apareceram, não foi? Pois é...

Não estou a atribuir as culpas às miudas nem aos amigos, porque na verdade quem fraquejou foste somente tu! Eras tu que tinhas uma relação assumida, não eles!

 

No dia seguinte estava a milhas de pensar no que tinhas feito, mas tu no alto da Serra contaste-me... perdido entre lágrimas que nem uma criança e pedidos de desculpa! Doeu-me tanto ouvir-te, mas o estado em que estavas denunciava o quanto gostavas de mim e de não ter feito semelhante asneira... eu tentei tirar uns dias para pensar se te desculpava, mas cada hora sem ti era uma agonia brutal e a verdade é que tu tinhas tido a coragem de me contar o sucedido antes que eu soubesse pelos teus amigos. Começava aí o meu dilema: amava-te profundamente, sabia que me amavas de volta mas tinhas-me traído mesmo assim! Quantas vezes mais é que o irias fazer se eu te perdoasse esta?

 

Amava-te demais para te perder por um deslize... e perdoei-te, esperando que tivesse sido uma vez sem exemplo. É curioso que quando te perguntei porque o tinhas feito nem tu próprio o sabias...!

Mas eu enganei-me e essa não foi a única vez... no entanto, uma vez mais, todas as vezes que o fizeste contaste-me na primeira pessoa... até que houve um dia que eu disse "chega!". Jurei-te que se voltasses a trair-me te entregava a aliança e nunca mais me vias!

 

Até que houve um maldito dia em que tu não me foste buscar e eu peguei nas minhas pernas e fui à tua procura no parque! Quem me mandou a mim sair de casa?!

Dois ou três amigos teus tentaram-me distrair à entrada, mas disfarçaram muita mal e eu topei logo que havia merda... meu dito, meu feito! Olhei lá para dentro e tu estavas agarrado a uma gaja encostados a uma máquina... parece que ainda te estou a ver agora (e também ainda não me esqueci da "puta dos lacinhos")... caiu-me tudo aos pés! As lágrimas rebentaram instantaneamente e corriam pela minha cara como um rio cheio de força... chorei tanto, baby... alguém teve a triste ideia de te ir chamar mas eu nem te podia ver à frente! Só me apetecia bater-te quando usaste o cliché "não é o que tás a pensar, 'mor"!!! AH POIS NÃO, ERA LÁ AGORA!!! Enfim... penso que a única coisa que consegui dizer-te foi que tinha acabado tudo e atirei-te a minha aliança acima. Virei costas e vim-me embora...

 

Uns dias depois vieste ao meu encontro na escola e mais uma vez eu não resisti... tudo o que mais queria era abraçar-te e beijar-te, por mais estúpido que parecesse! E voltei a perdoar-te e a usar a nossa aliança, ao fim de uma longa conversa...

Se a memória não me falha, esta foi a última vez que me traíste, felizmente!

 

Na altura não percebi, mas agora sei que só se tem a capacidade de perdoar uma (ou várias, neste caso) traição quando se ama uma pessoa de verdade.

 

"You're forgiven, but not forgotten"

 


Se me perguntarem se me doeu só a primeira vez? Não, doeu mais de cada uma das vezes.

Se foi fácil perdoar? Não, foi das coisas mais difíceis que já fiz!

Se me sentia bem ao lado dele quando passávamos por pessoas que o tinham visto a trair-me e sabiam que eu era a cornuda? Sim, custava, mas o meu pensamento era que eu tinha saído por cima porque ainda o tinha e ele estava a mudar.

 

Mas acima de tudo, o que me fez superar toda a dor era ter ao meu lado a pessoa que eu mais amava no mundo! E que ainda amo.

publicado por Porque te amo... às 15:50
sinto-me...: ansiosa
música: Baby I love your way
tags:

Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
16

17
20
21
22
23

24
25
26
28
30

31


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

11 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO